Acolher e Inserir é nossa Missão, Transformar vidas é nossa marca.

Add Facebook

Equipe Multidisciplinar

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

Educador Social – Facilita o bem estar do usuário desde a Acolhida, atendendo suas demandas e necessidades básicas, interage com o Serviço Social em primeira instância e com outros técnicos da equipe para atingir os objetivos das etapas do Programa Socioeducativo Terapêutico. Promove assim o exercício responsável da cidadania para uma inclusão social satisfatória.

Tal função diferencia-se em tarefas como: música, educação ambiental, informática, e a intervenções socioeducativas e disciplinares.

Psicólogo – Em uso dos atendimentos individuais, se propõe a trabalhar com a modalidade de psicoterapia, que é indicada àqueles que estejam experienciando dificuldades relacionais a eventos traumáticos, ou a qualquer outra situação conflituosa, auxiliando o acolhido na elaboração de seus conflitos pessoais.

Faz uso de grupos Psicoterapêuticos onde visa o compartilhamento de experiências e, consequentemente, facilita a percepção do funcionamento do indivíduo por identificação com os demais membros do grupo, promovendo maior desenvolvimento dos relacionamentos interpessoais e do apoio mútuo entre os mesmos, além de abrir um espaço de reflexão entre o pensamento e a razão. São utilizados métodos como discussão de grupos, aplicação de dinâmicas, atividades psicoeducativas, sessões de filmes relacionados à dependência química.

Técnico de Reabilitação em Dependência Química – Coletar e registrar informações de apoio e suporte ao diagnostico e ao acompanhamento da abstinência e seus desdobramentos; orientação a familiares dos acolhidos sobre a doença; orientação e encaminhamentos a familiares e usuários fora do nosso perfil; apoio e suporte as triagem e avaliação do grau da dependência química. A partir de atendimentos individuais ou em grupo tem por objetivo auxiliar o acolhido a desenvolver recursos que facilitem o enfrentamento de situações de risco de recaída, aumentando o repertório de alternativas viáveis para tais situações, além do desenvolvimento de habilidades sociais que possibilitem a permanência das mudanças positivas realizadas durante o processo de recuperação, visto que em sua proposta, o enfrentamento a Dependência Química, é um dos principais objetivos da ASAB.

Assim é compartilhada com os acolhidos em Betânia da necessidade da participação em grupos de mútua-ajuda, deste modo, a instituição, em seu programa, oferece algumas atividades em parceria, como: Grupo de estudo dos Doze Passos do A. A., onde os acolhidos são levados a refletir como estes passos podem ser utilizados na vida de cada um; integração em grupos de mútua-ajuda: Narcóticos Anônimos (NA), Alcoólicos Anônimos (AA), Pastoral da Sobriedade.

Assistente Social: Desempenha atividades inerentes ao Serviço Social dentre elas: triagem, quando é avaliado se o usuário que busca nossos serviços está no perfil do programa da ASAB; viabilização de redes Intersetoriais; visitas domiciliares; visitas institucionais, entre outros. Como também faz uso de diversos instrumentos, como: estudos sociais, laudos e relatos sociais, supervisão em serviço social.

O profissional também faz uso da entrevista social, utilizando-se da escuta qualificada e da dialógica buscamos dados significativos acerca da realidade do sujeito para traçarmos os encaminhamentos necessários as demandas trazidas pelo mesmo. O assistente social também trabalha na busca da aproximação dos familiares, visando o fortalecimento dos vínculos fragmentados, como também na articulação com redes de apoio promovendo encaminhamentos aos serviços de políticas públicas tais como: saúde, documentação, justiça, aquisição de benefícios sociais, dentre outros. Também trabalhando com os acolhidos em grupos temáticos, propondo a reafirmação dos direitos da População em Situação de Rua.

OBS.: Abrangente a todos os profissionais está o trabalho de resgate dos vínculos familiares, partindo do entendimento que a família é uma das principais instituições sociais bem como é de ampla importância para a população em situação de rua e em especial para o dependente químico, pois para o mesmo é importante perceber e sentir-se apoiado pela mesma.

Sendo assim a inclusão dos familiares dos acolhidos no processo de reinserção e a possível reconstrução desses vínculos, auxilia no resgate da individualidade e historicidade de cada um levando-os mais facilmente a reencontrar seu lugar na sociedade, sendo ainda forte aliada na prevenção à recaída.

 

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

O monitoramento e avaliação do programa segundo a metodologia da ASAB é realizado pela Diretoria da Instituição e pela Coordenadora da Equipe Multidisciplinar com os técnicos. As reuniões semanais pautam o processo pessoal e coletivo dos usuários, como também a busca de soluções nas demandas. As ferramentas constam no cronograma semanal de atividades, tais como: fichas de avaliação do desempenho do usuário no processo de tratamento; livro registro de frequência dos usuários; tabela em planilha eletrônica dos atendimentos de Serviço Social, Psicologia, Dependência Química; relatórios mensais e anuais das atividades.

Como parte do monitoramento, são mensurados os quantitativos de:

Inclusão no Programa.

Desistências.

Encaminhamentos.

Inclusão social

O monitoramento e avaliações das atividades, das oficinas e do processo sociopsicoterapêutico dos acolhidos se dá através:

Das reuniões da Equipe multidisciplinar, com pauta apresentada pelos técnicos, e estudos de caso, em que buscam-se soluções para melhor qualidade no processo sócio psicoterapêutico. As decisões e tomadas de atitude são registradas em atas com avaliação das realizações na semana seguinte. Mediante a perspectiva da equipe técnica são apresentados alguns fatores que corroboram para uma melhor aderência ou não ao projeto da Betânia. De forma ampliada, promove a troca mais intensa de informações e planejamento acerca da qualidade do tratamento do acolhido. Desta forma são construídas novas estratégias para atingir os objetivos traçados no PDI.

Passagem de Módulo: A passagem de módulo é feita através da avaliação conjunta entre o usuário e técnicos, onde na reunião de equipe é definida a passagem. É realizado um mini fórum mensalmente onde todos tem participação ativa, havendo auto conceito e aprovação dos demais usuários, assim recebendo o crachá na cor do módulo seguinte.

Fóruns internos: O fórum tem o objetivo de fortalecer a participação coletiva visando a construção de novos valores e a reafirmação dos direitos individuais e coletivos. Neste ambiente é importante ressaltar, que são os acolhidos que promovem as falas e as principais colocações sobre questões internas da Instituição, propostas de políticas públicas com a Assistente Social e participante do Fórum Estadual Permanente de População de Rua.

Os instrumentos de avaliação e monitoramento sempre se correlacionam, pois eles corroboram um mesmo propósito, que é melhor atender os que são acolhidos na ASAB, assim visando proporcionar uma nova inserção social, lhes garantindo direito, como moradia, trabalho e protagonismo.

As diversas oficinas da Casa são avaliadas pelos instrutores, capacitadores ou professores, cujos resultados são passados para a Coordenação.

Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia Betânia